terça-feira, 17 de março de 2009

Entre Estrelas

Sentiu-se humilhada por amar a fantasia,
A presente solidão e a lembrança a refletir-se cintilante.
Calou-se,
Quietou a própria magia por um instante,
Descartou as medidas da lonjura em que se encontrava
E libertou a matança traiçoeira de si mesma...
Não pude ficar perplexa,
Mas não posso jurar que fui fria para ali ficar,
Vendo-a,
Vendo-me,
Desvendando-me.