sábado, 28 de março de 2009

Dona Maria Paulistana

Trejeitos de moleca
Em conversas com si mesma,
Desejando o universo decaído em sua boca.

Arte na pressão da espátula,
Quase artesanato;
Fusão de flores rubras eclodindo ante as pupilas
Nossas...
Alguém tranque a minha sombra num porão inalcançável.