domingo, 15 de março de 2009

As Feras

A sombra decaída sobre a mesa,
Contrariando a direção do olhar,
Recoloriu a natureza morta
Distante da própria natureza,
Descreveu-se forma isenta da íntima morbidez.

Entretanto, perguntei-me:
- Mas o que será da sombra sem o seu furto de quase tudo?
(...)
Muito bem, não sei,
Mas este abraço que se faz é cálido em mim mesmo,
O animal que se propôs representá-la.

Então que seja o sentimento de fera,
Caiando o mundo com a sua necessidade e sentimento,
Aniquilando-me a censurar a auto-censura.