segunda-feira, 2 de março de 2009

Além do Óbvio

Não posso ver além deste emaranhado de milhões de octetos por vez,
Navalhas para sangrar se nós sangrarmos,
Cores de pedaços de dor se nós amarmos.
Não posso dizer que é tua a representação,
Nem que é minha a minha;
Vagamos sem tempo,
Fixos em inteiros cruzados.