quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Os Cantos do Insosso

O que te ajuda a ser
Senão a delicadeza do teu corpo
E a fragilidade das tuas asas?
Sei que precisas de dias suaves,
Brisas mornas e rodamoinhos quase sem força,
Mas é só chuva quando não é calor pesado...

Tinha duas das tuas no caminho de volta para a minha casa,
Uma estava esmagada no asfalto-
Passaram por cima e nem devem ter visto,
A outra agonizava num canto da rua-
Envenenada.

As palavras que pareciam arder,
Não me impulsionaram ao que prometemos cumprir,
Apenas pensei sobre tudo como uma bobagem qualquer
(...)
É só chuva quando não é calor pesado!