terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

O Amigo do Rei

Não há desvario que sirva à vida,
Mesmo que o desapego exale confiança
Ou indique nobreza,
Pois aniquilar-se não é a melhor opção
Apesar de ser uma das muitas.

A pitada de loucura que pregas é só demagogia,
Meu bem;
Não há saliva desatinada lábio abaixo,
Braços e dentes que quase existem,
Olhos e vozes que quase ordenam,
Amarras e quartos que quase aprisionam.

A piada de loucura que pregas é sanidade,
Motivo para uma verdade,
Razão que se desprende;
Não é loucura.