sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Fátima

Fulminado pela tua astúcia,
Não rompi o concreto,
Não fugi da verdade,
Não voltei do inferno,
Não fui.

Precisei matar a mim mesmo,
Mais uma vez,
A fim de entender a razão de cores tão intensas,
A função de dores tão discretas,
O padrão de limites tão drásticos...
Não irei me perguntar:
Sim, enganou-me.