domingo, 8 de fevereiro de 2009

Calundu de Baiana

Preciso ver além dos nós de proporção nenhuma,
Além do que está colorido,
Além das cores,
Além das bases agrupadas;
Preciso saber como reagrupá-las,
A que linha de código pertencem,
A que contexto se referem,
De que dores reagem
E o motivo destas dores.

Se realmente preciso
E se realmente souber,
Saberei que no silêncio há ruído,
Compreenderei que o realmente não é.