sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Amarrada

Na contradição em tentar vestir-me além dos olhos,
Compor-me das sombras a enlaçar uma via sem volta,
Driblei colunas de nada por prazeres simplórios-
Tão próximos que bastava estender os meus braços pintados de fim.