terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Virtude

Quiçá será a noite derradeira. - assim pensei.
Mas quem prevê o impulso da alma faminta,
A força pungente a zombar do que cremos de nós mesmos?

Eu me traí,
Sim,
Era impuro,
Até perceber que nada esperar,
Talvez,
Seja o melhor caminho...
Contudo,
Caminho nenhum há,
Virtude nenhuma também,
Apenas as peças de realidade que monto sobre a ilusão.