quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

O Alaúde e a Bailarina

Contido o ímpeto
Que tentava parar as estrelas
E entrevar as cintilâncias da tua dança,
Tomaste o domínio a matar quase tudo o que não se encantara.