sábado, 11 de outubro de 2008

Qu4tro

Eram quatro poetas sujos de um lugar qualquer,
Aprisionados em seus paraísos artificiais.
Eram quatro homens sós,
Verdadeiros egoístas;
Fingiam o amor,
O altruísmo sagaz de poucos,
Mas a força a inflamar os seus espíritos os via como deuses.
Eram quatro mortais:
Acabaram engolidos
Pela crosta coesa e ridícula do prosseguimento da falta de imaginação.