quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Eu Não Respiro

Eu não respiro,
Decanto as dores que não consigo lidar...
Vejo os teus pés sujos e lembro das luzes de neon que quebrei,
Dos cortes incuráveis que abri nos intervalos de tempo;
Doces lembranças com respingos de sangue feito de ketchup,
Descrível vingança das mulheres de borracha cortadas em postas para quem janta durante toda a vida.

Eu não respiro,
Expulso nojeiras que mal me cabem...
Vejo os teus pés sujos e denigro tudo o que creio para te sentir,
Afago tudo o que repugno para que o inimigo em mim me diga.

Sirene que canta,
Canta para a morte,
Perdão,
Eu não respiro.