terça-feira, 29 de julho de 2008

Raskaus

Estou grávida de um sentimento que me adoeceu,
Luzes que iluminam lábios rosáceos de um sonho distante.
Estou prenhe de uma mentira delicada,
De uma xarada sem resposta,
De uma paixão posta à prova.
Espero um rebento do vento;
Este que se pronuncia rude,
Que me cala sem me entender.