terça-feira, 15 de julho de 2008

Amina

1 Era uma mulher sozinha, mas erotizada em sonhos de centenas.
2 Caloroso o mundo em que vivia, para aqueles que a idolatravam.
3 Era uma mulher que vendia a aproximação e o toque, embora sem os desfrutar.
4 Rancoroso o mundo que sentia, distante do apreço entre irmãos.
5 Era uma mulher sem paz. Quem no mundo beija a paz?
6 Rendeu-se ao olhar de Lux, o dragão trevoso, e aos sonhos que o mesmo cantava.
7 Morreu ao septuagésimo quinto dia da paixão sombria por Lux.
8 Lux, o alienador de almas, descontente pela morte da sublime escrava, matou mil homens e cem mulheres quando percebeu o seu amor por Amina.
9 Ajoelhado no mar de sangue, uma lágrima vertida mudou a dor do universo.
10 Reuniu os corações das suas vítimas e construiu um altar, costurando-os com fios de medo.
11 Ordenou a todas as almas alienadas que buscassem por Amina em seus delírios.
12 Sem sucesso, mergulhou no próprio pesadelo e a encontrou.
13 Aos gritos, clamou para que Amina voltasse.
14 Amina, recriada por suspiros de horror e insatisfação, sussurrou:
15 Vivo do seu sofrimento, não queira me matar mais uma vez.